microfranquia

Mesmo com a crise, setor de microfranquias cresce no Brasil em 2015

Microfranquias cresceram 11% no primeiro semestre de 2015 e a expectativa é aumentar para 15%

Enquanto a economia brasileira segue em retração, as microfranquias despontam como alternativa alheia à crise. A expectativa do setor para 2015 é que o crescimento fique entre 10% e 15%.  Com muita gente perdendo o emprego tradicional, o franchising tem se tornado cada vez mais um opção interessante, principalmente no segmento das microfranquias, que demandam um investimento inicial menor em comparação às grandes marcas. Porém, quem deseja começar um negócio precisa saber que há riscos e estar ciente que saber vender é essencial para ter sucesso.

Segundo a classificação da Associação Brasileira de Franchising (ABF), microfranquia é aquela cujo investimento inicial vai até R$ 80 mil. Em 2014, o crescimento das microfranquias em relação ao ano anterior foi de 12,8%, sendo que entre as 2.942 redes de franquias no País, 433 possuem modelo micro. A modalidade tem feito muito sucesso porque, além de exigir um investimento inicial menor, a microfranquia normalmente não precisa ter um endereço físico – o que economiza o custo de um aluguel e outros gastos relativos – e também empregados. Geralmente, o franqueado trabalha em casa, sozinho, e só precisa de um computador, internet banda larga e telefone para realizar toda a atividade.

Assim como qualquer outra franquia, quando se investe em uma microfranquia o empreendedor tem uma marca pronta para trabalhar, com produtos e processo bem definidos. Além disso, com o respaldo da franqueadora, o franqueado sente-se mais seguro. Porém, é preciso estar preparado para cumprir metas, aprender as regras da empresa e padronizar o trabalho. Oferecer um serviço ou produto que segue o padrão da empresa é um regra básica, assim como qualquer outro franquia.

Para começar bem o novo negócio, é imprescindível que o franqueado evite misturar a conta bancária pessoal com a jurídica. Outra dica importante é não se iludir – não espere lucros altos no primeiro ano da microfranquia. Para seguir isso à risca o caixa da empresa deve ser reservado para gastos da empresa e a margem de lucratividade média deve estar próximo dos 8% nos primeiros 12 meses – aqueles que esperam 20% de lucro já no começo do negócio acabam decepcionados e desanimam.

O mais interessante no segmento das microfranquias é que existem opções para diversas áreas de atuação, inclusive para  aqueles que só possuem o registro de Micro Empreendedor Individual (MEI) ou desejam trabalhar em meio período do dia – porém, o tempo de dedicação influenciará no seu resultado. O valor do investimento inicial também pode variar e o dinheiro sacado do  Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) pode ser utilizado para efetuar a compra. Entretanto, para investir neste ramo é obrigatório, em qualquer caso, que a pessoa tenha o espírito empreendedor.