Franqueados finanças

Falta de capital e planejamento, e a mistura das contas pessoais com as do negócio, são apenas alguns dos problemas de franqueados sem habilidade para administrar as finanças

Uma das maiores causas do não crescimento (e falência) de muitas franquias é a inabilidade em relação ao gerenciamento do dinheiro. É claro que isso se aplica a qualquer tipo de empreendimento, mas aqui vou falar especificamente da gestão de franchising.

Quando falo sobre lidar com finanças, não me refiro ao entendimento sobre custos, preços e lucros, mas sim, o conceito elementar da contabilidade financeira e gerencial que qualquer empreendedor tem o dever de conhecer antes de montar o seu negócio. Os números são moldados com base em três elementos básicos: patrimônio, resultado e caixa.

Patrimônio é tudo o que se refere a bens, direitos ou obrigações, e qualquer alteração efetuada precisa ser registrada pela contabilidade. O resultado é o lucro ou prejuízo expresso no Demonstrativo do Resultado do Exercício (DRE), através do confronto entre receita (com os impostos) e despesa, através de análise de determinado período. O caixa, por sua vez, é simplesmente o fluxo de entradas e saídas.

A contabilidade financeira e gerencial tem como função principal fornecer informações que irão influenciar diretamente na tomada de decisões. O franqueado tem de ter controle total sobre a administração contábil da unidade, pois, antes de tudo ele é um empresário e, como tal, é o principal responsável pela saúde financeira do negócio.

Quando o franqueado escorrega para o descontrole financeiro, a saída é se munir de calma e começar a colocar a casa em ordem. Primeiramente, é preciso detectar custos muito altos, onde está gastando mais do que deveria e qual o nível de endividamento. O primeiro passo é montar uma planilha mensal que contenha o registro de tudo o que irá receber e terá de pagar – isso irá facilitar a visualização do cenário real. Além disso, outras ações poderão ser tomadas:

Foco e disciplina

A reorganização das finanças exige determinação e disciplina, já que muitos franqueados não têm habilidade em lidar com dinheiro. O acompanhamento de alguns indicadores, como margem de lucro, faturamento, custos fixo e total, lucro nominal e nível de endividamento, deve ser semanal ou diário, mesmo com todo apoio da franqueadora neste sentido.

Contas separadas

Misturar as contas particulares com as da empresa é um erro fatal, bastante comum entre franqueados, que normalmente trabalham com a família. Neste caso, a separação das contas deve ser rigorosa, estabelecendo-se períodos e condições para realizar retiradas para que não seja transferido capital da empresa para patrimônio pessoal.

Prazos limite

A primeira ação para controlar o fluxo de caixa é conhecer os prazos de pagamento e recebimento. É essencial saber o que significam os prazos curto, médio e longo, especialmente na questão das dívidas.

Software

O desenvolvimento de planilhas é bastante útil para o controle de entradas e saídas, porém, um software irá possibilitar ao empreendedor o acompanhamento do crescimento do negócio. Hoje existem opções de sistemas em nuvem bem acessíveis, que irão fornecer todos os números.

Em resumo, assim como ocorre no orçamento doméstico básico, o empreendedor de franquia tem de colocar todas as despesas no papel. Só assim ele saberá o quanto está gastando e para onde o dinheiro está indo. A montagem do cenário mensal das finanças possibilita a identificação da origem dos problemas e aponta os caminhos para a solução.