Franquia

O sistema de franquia possui alguns conceitos básicos que devem ser entendidos pelo empreendedor antes de aderir ao modelo de negócio

O segmento de franquia vem crescendo de forma acelerada. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor fechou 2013 com faturamento de R$ 115 bilhões, apontando aumento de 11,9% em relação ao ano anterior. Diante desse cenário, muitos empreendedores consideram converter-se em franqueadores, pois veem na modalidade uma garantia de sucesso.

Antes de qualquer coisa é preciso atentar-se para o fato de que a imagem do êxito garantido no mercado de franquias é ilusória. Embora os negócios em franchising apresentem taxa de mortalidade bastante inferior a de negócios independentes, ela ainda existe.

Além de fatores mais complexos, o franchising possui conceitos definidos, os quais o empreendedor tem de assimilar muito bem para a gestão adequada da marca. Basicamente, trata-se de uma estratégia de expansão de negócios que engloba a transferência de know-how de franqueador para franqueados, onde ambos constroem uma relação de longo prazo. O sistema de franquias se ampara no planejamento e na gestão estratégica, e desenvolve constantemente a busca pelo retorno sustentável e maior participação de mercado, de forma rentável.

A partir do conhecimento essencial sobre o sistema, vamos analisar quais são os diferenciais que levam uma rede de franquia ao sucesso. São vários os fatores, mas aqui vou citar os cinco imprescindíveis a qualquer empreendedor, independente do ramo de atividade:

1-     Negócio atrativo, lucrativo e com boa estrutura para expansão

É importante que a marca possua diferenciais competitivos no mercado, que possa realmente oferecer algo diferente às pessoas. Aqui também a pressa não combina com a perfeição. Antes de pensar em expandir o negócio, é necessário planejar a estrutura de apoio à rede.

2-     Parceria e qualidade no relacionamento

O franqueador precisa criar condições para que seus franqueados tenham ganhos expressivos, afinal, a insatisfação do franqueado irá refletir negativamente em toda a rede. O franqueado é, antes de tudo, um parceiro, e o relacionamento dele com o franqueador tem a motivação como pano de fundo. São pessoas engajadas para atingir um objetivo em comum.

3-     Programas eficientes e constantes de treinamento

Apenas algumas horas de capacitação inicial não irão preparar o franqueado para assumir a gestão da unidade de franquia. Os treinamentos devem ser constantes, promovendo a reciclagem dos conhecimentos sobre o cotidiano da operação. Isso irá garantir a padronização da marca (um dos principais pilares do franchising) e a qualidade dos serviços ao cliente.

4-     Inovação permanente

Ao proporcionar inovações e manter a marca competitiva no mercado, o franqueador irá assegurar que o franqueado permaneça na rede. Gerar condições ideais para a realização das atividades manterá o clima motivacional e criará uma interdependência saudável das unidades franqueadas.

5-     Ferramentas efetivas de gestão

Não se pode pensar em nenhum tipo de empreendimento, inclusive franquias, sem contar com um bom software de gestão. O sistema irá garantir o acompanhamento dos resultados da rede, em conjunto com outras ferramentas desenvolvidas, como mapa de indicadores de performance e controle de visitas às unidades.