Com balanço positivo no 1º semestre, expectativa agora é pelas vendas neste final de ano

No mundo do empreendedorismo, saber o perfil de quem consome seu produto é o primeiro passo rumo aos resultados positivos. E no e-commerce não é diferente. Outubro chegou e junto com ele estratégias já estão sendo traçadas em busca de “boas” vendas neste final de final de ano. Se depender dos números do primeiro semestre, quem trabalha com vendas pela internet terá motivos de sobra para comemorar. Foram R$ 21 bilhões vendidos no e-commerce no começo do ano e a expectativa é que ainda 2017 chegue a R$ 48,8.

Identificar quem consome pela internet é essencial para alcançar patamares tão expressivos. Foi justamente esse tão almejado perfil do consumidor que a Pesquisa Webshopper trouxe em recente publicação. São pessoas que não pouparam dinheiro em compras na internet e, ao que tudo indica, voltarão a gastar ainda este ano sem sair de casa.  Suas ações não apenas movimento o e-commerce brasileiro, mas indicaram padrões e tendências para os próximos meses. Outra notícia positiva para quem aposta no empreendedorismo é que o número de pessoas que compram pela internet cresceu 10,3%. O valor é um comparação do primeiro semestre deste ano com o mesmo período em 2016.

Empreendedorismo: quem vai gastar na internet?

Você deve estar se perguntando: mas quem gasta tanto dinheiro na internet num período em que a economia local vive num momento conturbado? Simples! Apostar no público feminino é uma boa “estratégia” de venda no empreendedorismo. Elas são as que mais compram pela internet (50,04%), mas os homens não ficam atrás e são responsáveis por 49,96% dos pedidos. São consumidores que possuem, em média, entre 35 a 49 anos de idade. A maioria (33,4%) optam por gastar até R$ 3 mil em compras de produtos, sendo o valor médio do ticket é de R$ 418.

Criar condições facilitadas de pagamento pode ser um boa estratégia do e-commerce em busca vendas aquecidas no final ano. Das pessoas que decidiram comprar pela internet, 51,8% optaram por parcelar o valor entre 2 a 12 vezes. Uma fatia um pouco menor (48,2%) preferiu garantir seus produtos mediante pagamento do valor à vista.

Quais produtos estão em alta no e-commerce?

Se o seu investimento no empreendedorismo foi no setor de telefonia e celular, comemore! A expectativa de vendas nos próximos meses é extremamente positiva. Isso porque no primeiro semestre deste ano esse tipo de produto correspondeu a 22,3% dos pedidos on-line. As vendas prometem sem intensas também no setor de eletrodomésticos (18,8% dos pedidos), eletrônicos (9,6%) e produtos de informática (9,2%). Novas ações de marketing podem ser traçadas por quem atua acessórios automotivos (2,3%), bebidas (2,4%) e esporte e lazer (3,8%).

Facilitar e não dificultar. Essa é uma dica fundamental para quem atua no e-commerce e deseja fechar o ano com as contas no azul. Por isso, o cliente do e-commerce necessita de meios que o auxiliam numa compra tranquila e sem imprevistos. Computadores e notebooks correspondem 75,4% das vendas. Mas as compras via aplicativos vem crescendo e já registrou 35,9% de crescimento. Num período em que as pessoas passam boa parte do tempo conectadas em seus tablets e celulares, não dá para menosprezar uma ferramenta com esta.