Consumidor é quem dará o feedback sobre produtos e serviços oferecidos por seu negócio na internet

No mundo do empreendedorismo é fundamental planejar ações e executá-las de forma estratégica. Mas para quem nos dias de hoje atua com e-commerce, um terceiro fator (talvez o principal) torna-se primordial para o crescimento de qualquer negócio: apostar no seu cliente.

Independente se o seu negócio é uma loja virtual ou uma franquia, é o consumidor quem mais utilizará seu produto e/ou serviço. Sendo assim, alguém dúvida de que é o mais indicado para avaliar sua empresa e o que é oferecido?

Com certeza não! Por isso, é o cliente que dará feedback sobre o atendimento na hora da venda. Quem opinará sobre qualidade do produto/serviço . Ele quem avaliará se o produto chegou ao local de destino, no período estipulado, em perfeito funcionamento, sem estar violado. Cabe ainda ao cliente avaliar se todas as suas dúvidas foram devidamente sanadas e se possuirá assistência em caso de imprevistos.

Se em qualquer setor do empreendedorismo a relação com o cliente é fundamental, para quem atua com e-commerce a atenção deve ser redobrada. O contato entre empresa e cliente dá-se pela internet, via interface, quase sem nenhum contato direto ou pessoal entre ambos.

Por isso, é necessário que se estreite mais esta relação, com um vínculo mais significativo entre empresa e consumidor. Lembre-se: uma venda só é boa quando o cliente volta a comprar com você. Quando o consumidor é atendido de forma ágil e tem suas dúvidas sanadas, tudo isso se transformará em aumento significativo em taxas de conversão, satisfação e fidelização.

Isso é o que mostra um relatório do The Importance of Online Customer Retention. A probabilidade de vender para um cliente já existente é de 70%. Já para um novo consumidor cai para 20%.

Mas como estreitar esta relação dentro do empreendedorismo?

Dentro do empreendedorismo existem várias maneiras de estreitar a relação entre empresa e cliente, bem como sua fidelização. A criação de perfis, canais ou páginas nas redes sociais é uma delas. Facebook e Instagram, por exemplo, deixaram de ser apenas meios de entretenimento. Eles agora são também canais para divulgação de conteúdos, marcas e produtos. Também tornou-se uma ferramente essencial para um contato mais informal tanto de atendimento quanto para suporte ao cliente.

Vale a pena apostar ainda em chat online para tirar dúvidas. Um teste realizado pela empresa Enext, revelou que a taxa de conversão de compras online aumenta em até 40% quando há o recurso no site. Outra ferramenta que pode apoiar na decisão de compra do consumidor é o FAQ. Considerado o primeiro contato entre o cliente e o SAC, ele traz respostas das dúvidas mais frequentes dos consumidores.

Blogs com conteúdos informativos sobre produtos e serviços também podem auxiliar na hora da compra. Assim como o E-mail Marketing pode ser a oportunidade para dizer ao consumidor que sua empresa está ali e pronta para atendê-lo. Algumas empresas costumam ainda dar “mimos” para seus clientes, como sistemas de pontos, cupons e descontos especiais. É importante ainda ter canais em que o consumidor possa avaliar seu serviço ou produto. Acredite: uma boa avaliação trará novos compradores. Uma crítica pode levá-lo à perfeição!

Empreendedorismo e investimento no cliente?

No empreendedorismo não vale mais o “vender por vender”, os tempos são outros. Os empreendedores contemporâneos têm investido mais dinheiro e tempo em ferramentas de comunicação, para melhorar seus produtos e serviços, bem como fidelizar seus clientes.

O motivo para tanto investimento pode ser um pouco explicado no estudo realizado pela Business Insider. Ele revela que 66% dos consumidores norte-americanos querem gastar mais em sites com bom atendimento. Por outro lado, 60% já deixaram de concluir suas compras por não ter um acompanhamento adequado. Isso corresponde a US$ 83 bilhões em vendas perdidas.

No Brasil, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), vendas pela internet geraram R$ 53,4 bilhões no ano passado. A previsão para este ano é de R$ 59,9 bilhões.

Se o objetivo é avançar nos negócios, é preciso acreditar mais no potencial de seu cliente. Mas se a preocupação for somente vender e não criar qualquer tipo de relação com o consumidor, sinto informar: seu cliente pode, a qualquer momento, migrar para o concorrente pelo simples fato do outro ser mais atencioso.